Projeto quer pagar auxílio emergencial de R$ 1.000 em 2021; Saiba mais


Um projeto que quer prorrogar o auxílio emergencial com valor de R$ 1.000 para 2021 está em trâmite na Câmara dos Deputados. O texto, chamado Projeto de Lei 5009/20, prevê o pagamento do benefício pelo prazo de doze meses.

A proposta é voltada principalmente para beneficiar indígenas, quilombolas, ribeirinhos, pescadores artesanais, assentados do programa de reforma agrária e integrantes de outras comunidades tradicionais. Ou seja, o auxílio será destinado aos moradores do bioma Pantanal, recentemente afetado por incêndios.

De autoria da deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) e outros 12 deputados, a projeto aponta que essa população tem enfrentando dificuldades, dores e prejuízos psicológicos e socioeconômicos devido aos incêndios na região. “Busca-se um socorro imediato, de emergência, aos que mais necessitam”, argumenta o texto.

Cerca de 92% das pequenas propriedades existentes do Pantanal tiveram mais de 80% de sua área destruída pelo fogo, de acordo com informações do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

Autores do projeto de lei

O documento é assinado pela deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) e pelos seguintes parlamentares:

  • Alexandre Padilha (PT-SP);
  • Camilo Capiberide (PSB-AP);
  • Célio Moura (PT-TO);
  • Marcelo Freixo (PSOL-RJ);
  • Merlog Solano (PT-PI);
  • Nilto Tatto (PT-SP);
  • Paulo Teixeira (PT-SP);
  • Professor Israel Batista (PV-DF);
  • Rodrigo Agostinho (PSB-SP);
  • Túlio Gadêlha (PDT-PE); e
  • Vander Loubet (PT-SP).

Sobre o Projeto de Lei 5009/20

O projeto de lei prevê que o auxílio emergencial não será pago a quem tiver outra fonte de renda com valor igual ou superior a R$ 500 por membro da família. Também não terão direito aqueles que constam como dependente de declarante do Imposto de Renda.

Em números reais, a previsão é que um total de 10.483 minifúndios e 4.887 pequenas propriedades ficaram com mais de 80% de sua área devastada pelos incêndios. São elas:

  • Cônjuge;
  • Parceiro com o qual o contribuinte tenha filho ou conviva há mais de cinco anos;
  • Filho ou enteado em ambas as hipóteses.

Alguns dos dispositivos legais que já vinham sendo usados durante o pagamento do auxílio emergencial também constam no projeto. Um deles é a permissão de pagamentos via conta poupança social digital. Também ficam vetados descontos ou compensações no benefício por parte da instituição financeira responsável pelo pagamento.

Auxílio emergencial de R$ 300

Outra proposta que estende o auxílio emergencial para 2021 também foi protocolada. O projeto de lei estabelece que o estado de calamidade pública e o benefício sejam prorrogados até 31 de março de 2021.

O projeto é de autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que afirmou que ainda não há previsão de inclusão do texto na pauta do Senado, mas que ele já está sendo discutido com outros parlamentares.

Leia mais: Auxílio emergencial chega ao fim: Confira outros 22 benefícios que você pode receber





Source link